Quanto custa uma franquia? Conheça todas as taxas e custos

Está pensando em abrir um negócio, quer economizar para ter um retorno maior do investimento e depois de muitas pesquisas escolhe abrir uma franquia. Mas ao mesmo tempo você se depara com as inúmeras taxas inerentes ao negócio. Saiba que as taxas de franquias são normais e devem ser cobradas mesmo, afinal, você precisa delas para fazer o negócio girar, certo?

O importante é que você as conheça detalhadamente, faça as contas e analise bem o mercado antes de entrar nele. E já que nos referimos a contas, quem disse que não dá para economizar com as taxas ao abrir uma empresa? Ao entender quanto custa uma franquia, você vai perceber também que é possível gastar menos. Neste artigo vamos explicar como. Boa leitura!

Quanto custa abrir uma franquia?

O modelo de franquia atrai muitos empreendedores, principalmente por se tratar de negócios que deram e estão dando certo. Nesse caso, todas as análises, os estudos e o conhecimento de mercado já adquirido pela empresa é custeado também pelo novo franqueado, e isso implica no pagamento das principais taxas.

Taxa de franquia

A taxa de abertura de franquia é a primeira e o valor é pago assim que o contrato é assinado. Cada franqueadora trabalha com uma quantia determinada e ela deve ser informada, obrigatoriamente, na Circular de Oferta de Franquia (COF). O valor é único, fixo e corresponde à utilização da marca pela empresa, pela abertura em si.

Taxa de instalação

Ao abrir uma franquia você deve arcar também com a taxa de instalação. Ela é utilizada para custear materiais, equipamentos, mobiliário, decoração, fachada, entre outros itens necessários para que a instalação siga o padrão da rede. É um valor único — a vantagem é que a franqueadora já entrega tudo pronto para o novo empreendedor.

Taxa de propaganda

É o valor mensal pago para que a marca possa investir em ações de marketing e propaganda para promover a empresa. Todos os franqueados se comprometem a investir um valor que é revertido em divulgação que beneficia todas as unidades da rede, e não somente uma.

Taxa de royalties

Os royalties, nesse caso, são taxas mensais cobradas do franqueado por usar a marca. Lembra que falamos acima da utilização do know how já adquirido e do modelo de negócio já sólido no mercado? Essa taxa é voltada para esse fim, sendo investida em projetos de crescimento e desenvolvimento da marca franqueadora.

Capital de giro

O capital de giro não é exatamente uma taxa cobrada pela empresa, e sim um valor que o franqueado deve comprovar que tem disponível para fazer o negócio girar. Cada franqueadora determina uma quantia aos novos franqueados, que utilizam esse valor para custear despesas básicas do negócio e se manter caso haja algum imprevisto.

Como a Franquia Empresta pode ajudar?

Agora vem a boa notícia: nem todas as marcas cobram todas as taxas que vimos acima. A Franquia Empresta é uma delas! Nossa empresa não cobra taxas de propaganda e de royalties, por exemplo. Já é uma supereconomia, certo? Além disso, atuamos em um negócio promissor no mercado: o financeiro.

Se você precisa de números de sucesso, saiba que são mais de 20 anos atuando em mais de 8 estados brasileiros e nosso projeto de expansão só cresce! Queremos estar em todos os cantos do país. Quer fazer parte dessa história e levar a nossa marca para onde você está? Agora que você já sabe quanto custa uma franquia e que nós não cobramos taxas que poderiam pesar no seu bolso, não perca tempo!

Entre em contato conosco! Você será assessorado por um consultor e vai entender tudo o que precisa para poder abrir sua franquia.

Como fazer o fluxo de caixa da sua franquia de forma eficiente?

Controlar as finanças de seu negócio é primordial para que você tenha sucesso. Por isso, é tão importante saber quanto de dinheiro que entra e quanto sai de sua franquia. Esse controle é feito por meio do fluxo de caixa porque as movimentações ocorrem em tempos diferentes.

Desse modo, é preciso saber como organizar receita e despesa, criar planilhas e analisar os dados a serem inseridos, bem como separar as contas pessoais daquelas da empresa. Feito isso, o gestor identificará quanto de recursos financeiros tem disponível, em que foram investidos, entre outras informações.

O fluxo de caixa é importante para qualquer tamanho de empresa. Pensando nisso, fizemos este artigo com o intuito de ensinar como fazê-lo de maneira eficiente. Pronto para aprender? Boa leitura!

O que é o fluxo de caixa? 

O fluxo de caixa é uma ferramenta em que o empreendedor insere os dados financeiros da empresa diariamente, semanalmente ou mensalmente. Trata-se de um documento financeiro que compõe a contabilidade da franquia seguindo cinco pontos relevantes:

  • saldo inicial: dinheiro disponível em caixa e nas contas bancárias;
  • entradas de caixa: valores das vendas realizadas à vista e outros pagamentos recebidos no dia;
  • saídas de caixa: pagamentos realizados pela empresa naquele dia;
  • saldo operacional: diferença entre as entradas e saídas do caixa;
  • saldo final de caixa: somatória do saldo inicial e do operacional.

Esse procedimento gerencial auxilia no registro das transações para pagamentos e recebimentos de curto, médio e longo prazo. Assim, é possível estabelecer previsões para um planejamento financeiro e uma melhor gestão. O indicado é que sejam levantadas com antecedência as despesas, pois dinheiro na conta não necessariamente significa que esteja sobrando.

É preciso avaliar se os pagamentos dos clientes podem quitar as dívidas com os fornecedores no próximo mês. Por isso, o planejamento deve ser real para que haja um acompanhamento da evolução das receitas, variação das vendas, prazos de pagamentos ou parcelamentos a serem recebidos.

Por que esse procedimento é tão importante? 

Se houver erros ou descontrole na previsão de pagamentos e recebimentos, isso pode acarretar falta de dinheiro no caixa para arcar com as despesas do negócio, como salários dos funcionários, aluguel, água, energia, internet, entre outros.

O fluxo de caixa é relevante porque tem o potencial de promover um controle maior das entradas e saídas de dinheiro, visando à saúde financeira de sua empresa. Ao obterem os números reais, os gestores poderão tomar decisões sobre o remanejamento de valores entre setores da empresa que estejam precisando, impedir atrasos nos pagamentos dos impostos, fazer algum investimento, contratar novos funcionários etc.

Isso tudo ajuda a gerenciar os custos de maneira mais eficiente para que a empresa tenha uma visão estratégica de crescimento ou mesmo consiga reverter alguma situação negativa em tempo hábil.

No entanto, para alcançar a excelência nessa ferramenta, utilize um software integrado de gestão que mostre as informações de todos os departamentos, como compras e vendas, produção e financeiro, para saber a movimentação financeira de cada um. Afinal, todas as áreas precisam conhecer suas receitas, despesas e investimentos.

Inclusive, elas devem ter prazos diários para que os dados sejam inseridos no fluxo de caixa. Desse modo, o setor financeiro se torna uma área central, visto que terá uma visão holística da organização. Com os valores em tempo real, há a possibilidade de fazer um planejamento estratégico para o negócio.

Por isso, fazer uma boa gestão financeira começa com o fluxo de caixa, pois, desse modo, as decisões serão baseadas em dados para que outras atividades possam ser desenvolvidas. Esse documento contábil, às vezes, é subestimado pelas empresas, já que os gestores acreditam cumpre apenas deveres fiscais. No entanto, ele vai muito além disso, como pode-se verificar.

Como fazer o fluxo de caixa da sua franquia? 

Fazer um fluxo de caixa não é difícil: basta seguir as orientações abaixo, manter a organização e a periodicidade para que se tenha acesso ao saldo final diário. Veja como colocar em prática!

Saídas 

Na coluna de saídas, separe fornecedores, despesas e outras categorias. Assim, será possível preencher os valores gastos com cada um deles e analisá-los individualmente. Nas despesas, insira os custos de telefone, correio, internet, energia e outros valores administrativos. Já nas outras saídas, acrescente a amortização de empréstimos, pagamentos de impostos e investimentos que foram feitos.

Entradas 

Na parte das entradas, especifique tudo que receberá de suas vendas ou prestações pagas pelos clientes naquele dia. É muito importante que isso seja feito diariamente.

Resultado do período 

Para obter o resultado do que entrou e saiu em determinado período, some os valores da entrada e subtraia os de saída. O que sobrar é o rendimento positivo ou negativo daquela data.

Análises gráficas 

É importante fazer gráficos do fluxo de caixa porque eles permitem uma visualização geral do que está certo ou não. Diante disto, há alguns esboços que são essenciais, como:

  • análise financeira mensal — mostrar as entradas, saídas e saldo ao longo do ano vigente;
  • receitas separadas por tipo — identificar as mais relevantes e as menos importantes;
  • despesas também separadas por tipo — observar as oscilações mensais e fazer cortes necessários;
  • contas a pagar e a receber — visando ao planejamento do fluxo de caixa;
  • necessidade de caixa — ao saldo inicial do período são adicionadas as entradas e subtraídas as saídas;
  • saldo acumulado — quando bem-feito, retrata a soma do caixa, bancos, aplicações etc.

Dessa forma, analisará o movimento do fluxo de caixa de maneira que saberá se precisa de dinheiro para cobrir suas despesas, se a empresa deu lucro e real valor da Demonstração de Resultado de Exercício (DRE).

O fluxo de caixa é indispensável a qualquer negócio, visto que com ele poderá verificar se sua franquia é sustentável financeiramente e quais os pontos de melhoria relacionados aos gastos. Neste artigo, mostramos o conceito, por que ele é tão importante e como fazê-lo de modo prático. Independentemente se seu controle é realizado em planilha ou software, deve-se ter constância nos registros.

Já que está interessado no assunto de finanças, para alavancar sua franquia, procure saber mais sobre como administrar uma empresa em crescimento e tenha muito sucesso.

Como atrair clientes e aumentar a receita da sua franquia?

Já percebeu como o consumidor está a cada dia mais exigente? E não é para menos: ele vem sendo bombardeado com novas opções todos os dias para realizar suas atividades, independentemente do segmento. Com um mercado ainda mais acirrado, é fundamental adotar estratégias pensando na atração e retenção de clientes, pois eles priorizam a qualidade, a boa relação custo-benefício e o atendimento diferenciado.

Se você precisa aumentar a receita da sua franquia, está lendo o artigo certo, porque vai aprender agora como atrair clientes e, consequentemente, aumentar o ticket médio, fidelizar aqueles que fazem negócio com a sua empresa e diversas outras dicas. Afinal, você não quer ficar atrás, já que tem tudo para oferecer serviços de ponta, certo? Boa leitura!

Como atrair clientes para sua franquia?

Quando falamos em atrair consumidores, não podemos esquecer de priorizar o ativo mais importante para que isso aconteça com êxito: o trabalho dos colaboradores. Somente com uma equipe altamente qualificada, que se sente valorizada e veste a camisa da empresa, é que se conseguirá sucesso nas ações de conquista de clientes.

A mentalidade de que o cliente deve ser muito bem atendido deve ser adotada por todos na empresa, do mais alto ao mais baixo degrau da hierarquia. Isso reflete na cultura organizacional em geral, pois, ao entender seu papel na equipe, cada colaborador será capaz de vender o perfil esperado pela empresa. Tendo isso em mente, agora confira as dicas que selecionamos;

Conheça seu público de verdade

Sem conhecer o seu público-alvo a fundo não tem como ter uma visão estratégica e elaborar ações eficientes para atraí-lo. Entendendo bem o perfil do seu cliente você conseguirá se aproximar mais dele e propor o que deseja. Isso pode ser realizado por meio da observação pessoal, da realização de pesquisas e consequente análise de dados, abertura para sugestões e outras ações que devem ser pensadas de acordo com o seu negócio.

Invista em atendimento de qualidade

Quando falamos sobre como atrair clientes, pensamos em atendimento de qualidade. E isso vai desde a simples oferta de um cafezinho até a capacitação dos funcionários, os quais devem ser preparados para oferecer atendimento de alto nível tanto para atender e vender quanto para tirar as dúvidas dos clientes e antever e resolver seus problemas.

Faça presença no meio digital

É praticamente impossível encontrar uma pessoa que, nos dias de hoje, não tenha uma rede social e não esteja sempre conectada, pesquisando alguma coisa pela internet. Assim como as pessoas estão cada vez mais presentes no ambiente on-line, as empresas também devem estar, pois lá estão seus potenciais consumidores.

Investir em estratégias de marketing digital e marcar presença nas principais redes sociais é essencial para otimizar a performance da sua empresa, afinal tudo é elaborado estrategicamente com o objetivo de alcançar o seu público. Já ouviu aquela frase popular que diz que “quem não é visto não é lembrado”? Ela se encaixa perfeitamente nessa dica.

Além disso, o cliente gosta de se sentir mais próximo da empresa ou marca que aprecia. Nos Stories e Status do Instagram, Facebook e WhatsApp, você pode postar o dia a dia do que acontece internamente, os eventos e treinamentos que são realizados, assim como convidar um cliente para dar um depoimento por meio da rede. Isso também passa credibilidade para a marca.

Invista em atendimento digital

Como mencionamos acima, poucas pessoas ainda não acessam a internet diariamente, seja para pagar contas, pedir comida ou comprar um remédio. Com uma sociedade cada vez mais digital, os clientes priorizam um atendimento rápido e prático feito pelo celular. Se a sua empresa pode oferecer autoatendimento de forma eficiente para eles, por que não ter mais esse bônus?

Realize parcerias com outras empresas que agreguem valor ao seu negócio

Não é porque você tem uma franquia ou um negócio próprio que não pode realizar parcerias com outras empresas. Isso é até recomendado e muito saudável para o seu mercado, pois, ao mesmo tempo que oferece e indica serviços complementares, amplia seu network e tem a chance de receber clientes do seu parceiro também.

Tenha um pós-venda de alta performance

Os clientes precisam ser bem-atendidos tanto durante a venda também quanto no pós-venda. Isso ajuda a reforçar a qualidade da marca — podendo resultar na indicação boca a boca — e a certificar-se de que o consumidor esteja plenamente satisfeito. Além disso, é uma forma de manter um relacionamento para que ele sempre procure o seu empreendimento quando precisar de novos serviços.

Ouça a voz do cliente

Um desdobramento da dica anterior é saber ouvir a opinião e levar em conta a experiência do cliente, entendendo o que ele realmente deseja. Se você tem um público estabelecido, investe em ações para atendimento de qualidade, realiza pesquisas de opinião, mas não coloca em prática os feedbacks que seus clientes dão, ficará muito mais difícil ajustar medidas e traçar planos de ação com o que é realmente necessário para o seu público.

Promova ações e eventos regionalizados

Escolheu um bom ponto para abrir sua franquia? Agora invista em campanhas e eventos de acordo com a região para promover ações que chamem a atenção do público. Por exemplo, se está sendo realizada uma comemoração local, enfeite a loja, estimule a equipe a se caracterizar com o tema do evento e realize pequenos mimos como café especial, brindes, descontos ou o que mais combinar com o seu público.

Essas são algumas das várias estratégias de como atrair clientes, aumentar a receita com vendas e fidelizá-los para que voltem a comprar ou fazer negócio com a sua empresa. Contudo, o fundamental é conhecer o seu público e usar a criatividade a fim de promover ações únicas, já que cada segmento é muito específico e, muitas vezes, a expertise do empreendedor conta muito para desenvolver estratégias de sucesso.

Gostou deste post? Então o que acha de se aprofundar um pouco mais e conferir algumas dicas de como fidelizar clientes de forma eficiente, simples e duradoura? Leia e saiba mais!

Quais são os segredos de uma mentalidade empreendedora?

Quebra de paradigma, mudança de mindset e mentalidade empreendedora são termos muito utilizados atualmente para demonstrar o quanto o mundo está mudando aceleradamente. E para seguir essa transformação, é preciso desenvolver o empreendedor que existe dentro de você.

É importante saber que isso não diz respeito somente aos negócios. O sentido é mais amplo e pode ser um conjunto de fatores que vão ajudar a atingir suas metas, a resolver problemas e até mesmo influenciar o comportamento da sociedade. Veja como a mentalidade empreendedora pode inspirar tantas situações novas a seguir!

Conceito de mentalidade empreendedora

Primeiro, é preciso entender que esse termo vem de “empreender”, que é derivado da palavra francesa entrepreneur, segundo o autor brasileiro Idalberto Chiavenato (2012, p. 6). Foi empregado pelo economista Richard Cantillon em 1725 com o propósito de designar uma pessoa que assume riscos.

Logo, tornar-se empreendedor é ser uma pessoa que começa um novo negócio com outra forma econômica e de gestão, talvez explorando novas tendências de recursos, materiais e tecnologias.

Muitas vezes, atua em um nicho de mercado que ainda não foi aproveitado, para desenvolver produtos ou serviços visando resolver as dores dos seus clientes. No entanto, essa qualidade pode ser aproveitada em outros setores da vida.

O profissional com esse perfil consegue desenvolver uma mentalidade empreendedora porque tem habilidade de analisar as situações de outra maneira. Ele é guiado por ver brechas no mercado e identificar oportunidades de negócio inovadoras.

Nesse processo, a criatividade é muito importante, ampliando as possibilidades e a visão crítica. Sem o medo de transmitir seus conhecimentos, esse indivíduo se torna capaz de resolver o problema de outra pessoa.

Princípios de uma mentalidade empreendedora

Pensar diferente e fora da caixa

Uma mentalidade empreendedora resulta em criar oportunidades, encontrar soluções para os problemas, enxergar outras perspectivas, ter novas ideias, apresentar inovações para implementar em um negócio e desenvolver aspectos da vida pessoal e profissional para atingir os resultados mais rapidamente.

Tomar decisões

A pessoa com perfil de empreendedor se sente desafiada a todo momento para realizar o que deseja mesmo correndo riscos. Ela não enxerga nada como obstáculo, e sim oportunidades em todos os setores: financeiro, familiar ou psicológico. Age diferentemente de outras pessoas, tomando decisões em ambientes inseguros e de pressão, pois tem alto nível de confiança.

Ter visão estratégica do negócio

A mentalidade empreendedora proporciona uma visão estratégica do negócio, porque o profissional é flexível e se reinventa para driblar as adversidades sem se acomodar. Seu cérebro é estimulado a todo instante para encontrar caminhos, visando à realização de um objetivo pessoal ou profissional. Sua visão está no presente e no futuro.

Ir em busca de oportunidades

Como é um agente de inovação, independentemente de estar lidando com um negócio, dentro de uma empresa, buscando empregado ou desenvolvendo a mentalidade empreendedora, ele está sempre aberto a mudanças de comportamento e a ações empreendedoras para encontrar novas perspectivas.

Enfrentar o medo de erros e fracassos

Sua postura de protagonista, é de quem sabe que colherá o que for plantado. Mesmo que tenha alguns fracassos, o empreendedor procura aprender com os erros. Além disso, evita guardar mágoas, frustrações ou decepções, desenvolvendo um filtro para a negatividade, afinal, precisa manter-se saudável também no nível psicológico.

Dessa forma, devido à atitude de se aventurar em busca de um negócio ou outra meta com a certeza do sucesso, independentemente da sorte, a mentalidade empreendedora separa os protagonistas da sociedade das demais pessoas.

Quer aprender mais sobre como construir uma mentalidade empreendedora? Assine nossa newsletter no menu à sua direita para receber outras dicas!

Diferencial competitivo: qual a importância dele para a sua empresa?

Diversos empreendedores ainda não sabem o que é, de fato, um diferencial competitivo e nem como desenvolvê-lo. Primeiramente, é preciso entender que, além de conhecer bem a concorrência, é necessário enxergar as carências e desejos dos clientes. 

Compreendendo isso, é o momento de desenvolver as possibilidades de soluções para atender o mercado consumidor. Alguns diferenciais podem ser o preço, a qualidade, assistência técnica, entrega, entre outros. Mas, para saber melhor o assunto, continue a leitura e preste atenção nas dicas!

O que é diferencial competitivo? 

diferencial competitivo é o conjunto de atributos que destacam uma empresa de seus concorrentes. É o motivo que leva os clientes a comprarem de sua organização. Porém, estas características precisam ser importantes e únicas de verdade, para os consumidores se interessarem pelos produtos ou serviços. 

No entanto, isto não está relacionado somente à qualidade desses, mas à entrega, tempo de espera, formas de descarte e outros benefícios variados. Afinal, o seu negócio precisa ter uma boa proposta, ser competente e entregá-la adequadamente, para que a experiência seja a melhor possível e, dessa forma, conseguir fidelizar os clientes

Qual a importância do diferencial competitivo para a sua empresa? 

Quando um negócio tem diferencial competitivo, ele pode ser uma ferramenta de marketing, desde que a divulgação seja de maneira adequada e tenha uma visão estratégica para alcançar os resultados desejados. Isso possibilitará que as pessoas comentem, no mundo virtual ou real, sobre a empresa, destacando a experiência de uma compra ou o atendimento no pós-vendas, por exemplo. 

Para que isso ocorra, não é preciso ter vários diferenciais, mas, sim, um único que seja capaz de chamar a atenção dos clientes e que eles o considerem relevante. Obter muitos diferenciais não atrairá os consumidores, muito menos aumentará as suas vendas. Desse modo, tenha foco no cliente e na divulgação das vantagens oferecidas pela sua empresa. 

Como desenvolver ou identificar um diferencial competitivo? 

O diferencial competitivo pode estar relacionado ao produto ou serviço, ao atendimento do consumidor, às estratégias de relacionamento, à maneira de efetuar a entrega, entre outros. O desafio está em encontrar a oportunidade para se diferenciar dos concorrentes.

Acompanhar a gestão de dados e a tecnologia é uma forma de encontrar possibilidades e promover mudanças para se destacar no mercado em que atua. Observe algumas dicas a seguir. 

Desenvolva um propósito para a empresa 

Comece a avaliar a sua empresa, as características dos produtos e serviços, para encontrar o que pode ser inovador. Talvez sejam ações de sustentabilidade ou uma parceria importante. Algo que não seja fácil de ser copiado. Aproveite para analisar o mercado em que trabalha, as soluções que seus clientes procuram para as necessidades deles, como poderá desenvolvê-las etc. Ou seja, tenha um propósito.

Conheça bem os clientes 

Pesquise e saiba tudo sobre o perfil de seus clientes, como a idade, sexo, hobbies, hábitos de consumo e interesses. Avaliá-los permitirá descobrir as suas carências e, assim, poderá oferecer as melhores soluções.

Lembre-se que pode haver mais de um perfil de consumidor e que é preciso compreender a jornada de compras deles, bem como manter os seus dados atualizados no cadastro da empresa. 

Invista em atendimento 

Desenvolva ações que superem as expectativas dos clientes, como o conhecimento aprofundado sobre os produtos pela equipe de vendas, que pode fornecer explicações qualificadas, esclarecendo dúvidas antes da compra.

Usar a inteligência artificial também é interessante, porque possibilita que o cliente seja identificado assim que entra no estabelecimento. Por consequência, o vendedor pode recebê-lo pelo nome, antes mesmo de uma apresentação. 

Outro ponto importante é coletar os dados dos consumidores para que a equipe de marketing mantenha um relacionamento com eles por e-mail, compartilhando informações e promoções personalizadas. 

Em suma, busque um diferencial competitivo que não seja copiado e que tenha o DNA de seu negócio. Sendo assim, quando um cliente pensar em um produto ou serviço que sua empresa tem, logo lembrará dela. 

Agora que já sabe a importância do diferencial competitivo, aprenda como identificar as oportunidades de negócio para que sua empresa cresça. 

Missão, visão e valores: qual a diferença entre eles?

No mundo dos negócios, há três palavrinhas mágicas que definem o perfil de uma empresa: missão, visão e valores. Mágicas porque elas formam o tripé que servirá como a identidade da companhia e como ela quer ser vista pelos clientes, parceiros e concorrentes. A sua base fundamental e o tipo de atividade é que determinarão cada um desses termos.

Porém, definir cada uma dessas palavras para servir de vitrine da empresa nem sempre é tarefa fácil. Além disso, entender cada termo pode gerar uma certa confusão e dificultar o processo de elaboração. Por isso, preparamos este artigo para que não reste mais dúvidas e para que você possa escolher a descrição ideal para o seu negócio. Boa leitura!

Entendendo o conceito de missão, visão e valores

Ter em mente qual é a missão, a visão e os valores de uma empresa é fundamental para planejar os próximos passos. A partir daí, é possível elaborar um plano estratégico para se posicionar no mercado e entender bem como a empresa deseja desenvolver suas atividades e como será a voz, pois, sem ter clareza desses pilares, é difícil fazer com que todos sigam a mesma direção.

Por isso, vamos identificar cada um dos termos a seguir, nos próximos tópicos.

O que é missão?

A missão de uma empresa representa o que ela realiza, de fato, para a sociedade. É o porquê da existência de uma companhia, ou seja, a razão pela qual ela foi criada. A missão deve vender exatamente o que a empresa entrega, qual seu tipo de serviço ou negócio e de que forma ela agrega valor para o seu cliente e para o mercado.

Esse termo deve ser bem objetivo, definido em uma frase direta e que não dê margens para dúvidas sobre o tipo de trabalho que é realizado. Mas sua definição deve ser elaborada com estratégia para conquistar as pessoas ao lerem um conceito que seja certeiro. Pense nas seguintes perguntas para conseguir entender melhor e ter uma ideia de como elaborar a definição de “missão” para sua organização:

  • o que a minha empresa faz e como ela beneficia o meu público-alvo;
  • de que forma ela realiza o trabalho e que proposta de valor agrega;
  • como a empresa realiza suas atividades e quais são os diferenciais que posso ressaltar.

Veja, por exemplo, a missão do Google: “Organizar as informações do mundo para que sejam universalmente acessíveis e úteis para todos“. Viu como é uma definição objetiva e que entrega o que a empresa faz com clareza? O importante, ao definir uma missão, é ter em mente pontos como “o que fazemos”, “como fazemos”, “para quem fazemos”, “por que fazemos” e, se possível, “onde fazemos”.

O que é visão?

Conceituar a visão de uma organização pode ser uma das tarefas mais difíceis dessas três. Isso porque a visão deve ser muito clara e definir aonde a empresa quer chegar e qual o patamar deseja alcançar no futuro. Assim como a missão, o ideal é que a visão também seja escrita de forma objetiva, definida em uma frase direta e que não deixe dúvidas para quem lê.

Para definir esse conceito, é fundamental trabalhar com indicadores e metas, e esses servem para pautar o planejamento da empresa para o futuro. Pense em quais objetivos ela quer (ou precisa) atingir nos próximos anos. Mas nada de sonhar alto demais e tirar os pés do chão, hein? Um bom conceito de visão é aquele realista, porém, que não precisa deixar de ser ousado.

O mercado não deve ser enganado por uma definição de visão que não transmita um cenário real, tangível, pois, do contrário, a empresa pode perder a sua credibilidade. Veja um exemplo claro de visão da Fiat: “Estar entre os principais players do mercado e ser referência de excelência em produtos e serviços automobilísticos”. Direto e que informa qual seu desejo para o futuro, certo?

O que são os valores?

Já os valores vendem os princípios, valores éticos, crenças e a motivação adotada pela empresa. É como se a ela dissesse assim: “nós acreditamos nisso e essa é a nossa filosofia de vida”. É também por meio dos valores que os colaboradores podem se pautar sobre o posicionamento da empresa e adotar os referidos conceitos para se conectarem à empresa e vestirem a camisa.

Os valores também são muito utilizados nos processos seletivos e na descrição das vagas que entregam o perfil de profissional que buscam, e que, de preferência, tenha os valores parecidos com os da empresa. Adjetivos costumam ser muito utilizados em companhias que tem uma identidade jovem para definir seus valores, como “antenados”, “autênticos”, “comprometidos” e “inovadores”.

Já empresas mais tradicionais (estão aí também os seus valores!), como a Avon, por exemplo, definem seu conceito como “Confiança, respeito, crença, humildade e integridade“. Um bom modo de entender esse termo, concorda? Os valores, geralmente, são definidos por tópicos, ao contrário das frases curtas dos dois acima. Mas a criatividade fica a cargo da empresa. Não há um padrão definido.

A importância da missão, da visão e dos valores para a sua franquia

Ao pensar estrategicamente e elaborar cada um desses termos é fundamental que eles não fiquem só no papel ou no site da empresa, mas sim, que se tornem, juntos, um alicerce para a conduta de todos dentro da empresa. E também não sirvam só para ser uma máscara para tentar passar credibilidade para os clientes. É importante colocar isso na prática, todos os dias!

Assim também como é essencial fugir do clichê adotando frases prontas, do mesmo jeito que todo mundo faz, sem fazer um sentido verdadeiro para o negócio. Determinar a missão, a visão e os valores de uma empresa deve ser intrínseco e fiel ao verdadeiro trabalho que ela entrega e deve dar base para o posicionamento adotado internamente.

Pensar na missão, visão e valores é elaborar a identidade da marca com cuidado e preservar para que ela seja seguida por todos. E só depois de definidos os termos é que os planos de negócios poderão ser traçados, colocando em prática tudo aquilo em que a empresa acredita, obtendo o sucesso esperado.

Quer receber mais dicas e informações como essa para gerir o seu negócio com inteligência e eficiência? Então assine nossa newsletter agora mesmo e não perca nada!

Como investir em franquias? 5 erros que você precisa evitar

Pensando em abrir um negócio próprio? Começar uma empresa do zero pode ser arriscado, talvez fosse melhor você considerar sobre como investir em franquias. Este modelo de negócio é um pouco mais caro, mas traz mais garantia de sucesso. 

A prova disso está nos dados da Associação Brasileira de Franchising, ao divulgar que o setor fatura anualmente aproximadamente R$ 160 bilhões, mantendo um crescimento de 7% ao ano, contando com mais de 140 mil unidades e perto de 2.800 marcas de franquias. 

Há inúmeras vantagens em fazer um investimento em franquias, mas é preciso, também, evitar erros que podem transformar seu sonho em pesadelo. Veja quais são eles nos próximos tópicos, para que assim você possa caminhar rumo ao sucesso. 

Conheça as vantagens de abrir uma franquia 

Antes de apresentar os erros, vamos mostrar os principais benefícios comprovados em abrir uma franquia. Confira! 

Trabalhar com uma marca já conhecida 

A franquia é um modelo de negócio testado e aprovado no mercado, assim trabalhar com uma marca que já atua junto ao seu público é bem mais fácil do que construir ela do zero. Uma vez que ela existe, há departamentos de publicidade ou marketing, comunicação e relações públicas que desenvolvem a divulgação da rede perante os seus consumidores em grande escala. O que é um grande ganho para o empreendedor. 

Oferecer mais segurança para o investidor 

Quando você investe em uma franquia, é feito um contrato para que o franqueador e o franqueado estejam segurados juridicamente contra revisões do acordo. Isso permite que ambos desenvolvam e aperfeiçoem seus negócios para atenderem um mercado cada vez mais exigente. 

Contar com suporte no empreendimento 

Ao ser um franqueado, você receberá um treinamento para saber como fazer a gestão de sua unidade, porém, mesmo depois disso, terá o suporte da rede para assuntos relacionados a contabilidade, jurídico, tributário, comunicação etc. Essa consultoria evita que o empreendedor tenha dificuldades por desconhecimento, permitindo sobrar tempo para investir no bom resultado da empresa. 

Saiba como investir em franquias evitando os principais erros 

Você conheceu as vantagens e se interessou? Agora, quando for investir, esteja atento aos erros que podem fazer com que você perca dinheiro nesse negócio. 

1. Não pesquisar as redes e a lei do franchising 

Antes de tomar uma decisão, pesquise bastante sobre as redes nas quais está interessado. Consulte os franqueados. Veja os valores que as marcas cobram dos custos de franquias, como: royalties, fundo de promoção, investimento inicial, resultado líquido, análise de crédito e Circular de Ofertas das Franquias são alguns deles. 

2. Não fazer uma análise de mercado (SWOT) antes de escolher sua franquia 

Entrar em um mercado sem analisá-lo é um grande erro, pois, quando for abrir um negócio, você precisará saber as vantagens e desvantagens, as probabilidades daquilo dar certo, se é um mercado de consumo rápido, se o público tem interesse nos produtos ou serviços, como é a sua atuação, quem são os concorrentes e o que eles têm de diferenciais.

Outro dado relevante a ser considerado é a conjuntura econômica e política do Brasil. Veja se realmente é o momento certo para abrir sua empresa e se os produtos com que vai trabalhar não sofrerão alterações cambiais, o que influenciará no seu custo e preço final. Resumindo, você obrigatoriamente tem que fazer a análise SWOT para saber as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças do seu negócio. 

3. Não buscar conhecimentos de gestão administrativa e financeira  

A franquia não é um emprego, e sim um modelo de expansão de negócio que foi testado e aceito pelo mercado. O que não significa que dará certo para todas as pessoas, pois existem fatores a serem considerados junto ao empreendedor — sendo um deles, o conhecimento de gestão administrativa e financeira. 

Por mais que a franqueadora dê treinamento e suporte na área de gestão, você tem que ter mais conhecimento sobre o assunto, para estar preparado perante as adversidades que possam surgir, como também se manter atualizado diante das mudanças do mercado. 

4. Não ter capital de giro e não se dedicar ao negócio 

Evite colocar todo seu dinheiro no negócio, pois, ao começá-lo, deverá ter capital suficiente para manter as operações até ele dar lucro. Faça um planejamento financeiro e mantenha uma reserva, porque imprevistos sempre acontecem.  

Verifique qual o investimento inicial divulgado pelo franqueador e a partir de quando a unidade atingirá seu ponto de equilíbrio. Analise também o capital de giro necessário para pagar as despesas neste período, de forma que possa manter a qualidade no atendimento, até que a empresa esteja se sustentando para começar as retiradas. 

Além da questão financeira, o empreendedor tem que vestir a camisa de sua empresa, se dedicando a ela e a franqueadora para que haja sucesso. É um trabalho conjunto para que o negócio atinja seus objetivos. 

5. Não coloque seu dinheiro em marca sem afinidade 

Durante suas pesquisas de mercado, procure por franquias que tenham afinidade com seus valores, estilo de vida, produtos ou serviços que você goste e já use, de preferência. Saiba qual é a experiência do cliente ao consumir a marca. 

Caso goste da franquia, mas ainda não usou, solicite amostras e, então, vá até um franqueado como cliente para conhecer os produtos ou serviços, o ambiente e o atendimento. É preciso acreditar que a marca é boa para conseguir vender. 

Empreender não é uma tarefa fácil, mas seguindo os critérios aqui ensinados é possível fazer com que seu negócio tenha lucratividade, afinal, foram mostradas as vantagens e como investir em franquias sem cometer erros. Faça suas pesquisas para que em um futuro, nem tão distante, você faça parte das mais de 140 mil unidades de franquias no Brasil. 

Franquia Empresta, por exemplo, atua no mercado de crédito com inovação e competitividade, valorizando sua equipe e mantendo um processo contínuo de expansão. Sua marca oferece benefícios de alta lucratividade, baixo investimento, sem cobrança de royalties, sem estoque, baixo capital de giro, mix de produtos e retorno rápido. 

Assim, entre em contato com a Franquia Empresta para que ela tire qualquer dúvida sobre como investir em franquias e dê mais informações relacionadas a este modelo de negócio. 

Metas SMART: como aplicar o conceito na sua empresa?

Empreender, ser mais organizado, se alimentar melhor e fazer atividades físicas são algumas das principais metas estabelecidas pelos brasileiros, mas você sabia que apenas 8% das pessoas conseguem realizar seus objetivos?

São muitas as razões para esse alto percentual de não cumprimento das próprias metas: falta de planejamento, não definir objetivos que sejam fáceis de alcançar e não ter clareza de cada propósito são algumas delas. Mas, isso não precisa acontecer com você e com o seu negócio, certo?

Neste artigo, você vai saber quais são os passos necessários para realizar seus objetivos com sucesso ao aplicar o conceito de metas SMART. Quer saber o que é isso e como funciona? Continue a leitura e boa prática!

O que são as metas SMART?

Metas SMART são técnicas elaboradas de forma eficiente para facilitar que os propósitos sejam cumpridos tanto no âmbito pessoal quanto profissional. A palavra “SMART”, em português, significa inteligente. Logo, as metas SMART são ferramentas inteligentes elaboradas para alcançar determinado objetivo.

A técnica surgiu em 1981 e foi criada por George T. Doran. Desde então, vem sendo adotada por pessoas do mundo todo a fim de alcançarem êxito em seus planos. Afinal, sabemos que, quando se trata de atingir metas, de mudança de hábitos ou de elaborar um bom planejamento, todo o esforço extra para alcançá-los deve ser minimizado.

As iniciais dos termos Specific (Específico), Measurable (Mensurável), Attainable (Atingível), Realistic (Realista ou Relevante) e Time (Tempo ou Prazo) formam o conceito de SMART. Entenda, a seguir, como funciona cada umas dessas expressões e como pode colocar em prática no seu próximo plano.

Como aplicar ou criar metas SMART para sua franquia?

Quando se trata de traçar objetivos que podem definir a trajetória e o sucesso da empresa, toda estratégia deve ser muito bem elaborada, pois há uma série de coisas envolvidas como dinheiro, lucros, envolvimento das equipes e o tempo de cada um para fazer o que é necessário.

Utilizando as palavras que compõem as metas SMART, é fundamental ter em mente que cada propósito deve ter sua elaboração dividida em partes. Confira com as metas devem ser montadas no todo.

Específicas

É a primeira letra da expressão que compõe a técnica, Specific. Especificar uma meta é não deixar margem para dúvidas ao defini-la. Quanto mais específico e detalhado for o objetivo, mais ele será claro, contribuindo para que ninguém se perca no caminho ao tentar conquistá-lo.

Por exemplo, você precisa aumentar a lucratividade de determinado setor da empresa. O ideal, ao aplicar o conceito de metas SMART, não seria propor um aumento do lucro da área de vendas, mas aumentar o lucro em x% da área de vendas. Percebeu como ela é mais específica e como isso pode ajudar a traçar o restante do plano?

Mensuráveis

Como será a mensuração da meta para saber se foi alcançada ou não? Será por meio de indicadores informatizados, de ferramentas utilizadas na rotina do trabalho? É fundamental ter em mente o que deverá ser gerenciado e como isso vai acontecer de fato.

Além disso, é importante ressaltar que, desses dados que serão mensurados, devem ser retiradas amostras antes de iniciar o planejamento para o alcance da meta, pois só assim você entenderá o histórico desses números para entender o processo.

Um exemplo é quando você precisa reduzir custos internos da sua franquia. Antes de estabelecer um plano, deve ter em mente quais são as despesas e quanto pode reduzir em cada área para, depois, saber como mensurar o resultado alcançado.

Atingíveis

Por mais tentador que seja traçar metas ousadas, é fundamental sonhar com o pé no chão, atentando-se para a realidade. Do contrário, são maiores as chances de frustração e, consequentemente, de não alcançar o seu objetivo.

Porém, nada impede que você trace metas maiores, com números arrojados. O fundamental é sempre ter bom senso. Quer aumentar a produtividade de um setor em 50%? Tenha em mente se os colaboradores já estão trabalhando no limite da carga horária, por exemplo, ou se a meta está agressiva demais para o momento.

Relevantes

O motivo de traçar determinada meta deve ser claro. Caso contrário, corre-se o risco de lidar com algo que não é tão relevante para a empresa ou ainda deixar de atender prioridades que podem não ser vistas em um primeiro momento.

Um plano de negócios deve ser elaborado porque tende a aumentar o crescimento ou lucratividade da empresa ou é pelo fato de contribuir para que os funcionários se sintam mais satisfeitos internamente?

Ao analisar sobre a relevância de um objetivo, fica muito mais fácil colocá-lo em prática e não correr o risco de perder tempo com algo que não precisa ser executado.

Temporais

Por falar em tempo, é difícil pensarmos em um ativo mais importante que esse, não é verdade? Como ele está presente em tudo o que fazemos, deve ser otimizado ao máximo para obtermos o sucesso esperado ao traçar uma meta.

No aspecto temporal, quando falamos em metas SMART, devemos ter em mente qual será o prazo necessário para a realização do objetivo, bem como em quais períodos de tempo cada etapa do processo deverá ser realizada.

Esse fator se relaciona muito bem com o fato de a meta precisar ser atingível também. De nada adianta estabelecer o plano de aumentar as taxas de conversão de vendas em 15% em alguns dias, sendo que, para obter êxito nesse quesito, você sabe que levará um tempo maior.

E o contrário também deve ser observado. Não adianta colocar um prazo para realização de algo voltado para o bem-estar dos funcionários com o que eles já não precisam mais. O time certo deve ser avaliado como algo para ser realizado no tempo necessário de modo eficaz.

Falamos, neste artigo, em elaboração de metas e em como cada um desses aspectos é fundamental para obter êxito no planejamento da sua empresa. Contudo, nada impede que você também aproveite as dicas das metas SMART para aplicá-las em objetivos pessoais, afinal, qualquer plano deve ser bem-executado quando se quer ter sucesso.

Gostou deste post? Então aproveite o final da leitura deste artigo e aprenda mais sobre um assunto muito importante para todo empreendedor: como montar planos de ação dentro da sua empresa. Abordamos quais são os passos simples que você precisa conhecer. Boa leitura!

Por que investir em uma franquia financeira? Descubra as vantagens

Muitos brasileiros têm o sonho de abrir o próprio negócio e deixar de ter um chefe. E como empreender não é uma tarefa muito fácil, e muitos têm medo de começar e dar tudo errado, existe uma boa opção: investir em uma franquia.

A franquia é uma solução para quem deseja arriscar, mas com a consciência e a segurança de que aquele negócio está dando certo. Então, o ideal é seguir o modelo que está já presente no mercado. Porém, pode surgir a indecisão: em qual tipo de franquia é interessante investir?

Essa é uma dúvida bastante comum entre os empreendedores e, por isso, vamos explicar o motivo pelo qual uma franquia financeira é um bom negócio para você. Continue a leitura deste artigo para entender!

O que é uma franquia financeira e como ela funciona?

Uma franquia financeira é uma empresa do setor econômico que oferece serviços como empréstimos, financiamentos, consórcios, consignados e crédito pessoal. Na grande maioria dos casos, seus clientes são pessoas físicas, principalmente das classes B e C.

Este é um modelo de negócio que tem tornado mais fácil o acesso ao crédito às pessoas comuns, realizando seus objetivos, pois, até poucos anos, esse alcance só era possível quando se recorria a grandes instituições financeiras.

As franquias financeiras atuam como intermediadoras entre instituições e clientes, facilitando para que ambos consigam efetivar os seus objetivos. Esse modelo de negócio conta com o respaldo de empresas que, muitas vezes, já têm um nome forte no mercado.

Por que investir em uma franquia financeira?

O modelo de franquia, por si só, já se mostra um bom negócio para empreendimentos, pois o novo empresário entra para o mercado contando com o reconhecimento, a confiança e credibilidade de uma rede. Além disso, no segmento financeiro, abrir uma franquia tem seus vários benefícios. Confira alguns que listamos!

Baixo investimento

Um dos pontos positivos de investir em uma franquia financeira é que ela não requer altos investimentos como aluguéis caros de salas e condomínios em locais estratégicos. Você pode ter uma sala ou um ponto modesto em que seja possível começar, com valores a partir de R$40 mil.

Além disso, como a franquia funciona como uma intermediária entre financeira e cliente, não há necessidade de ter estoques, não exige grande maquinário e uma estrutura além daquela ideal para realizar serviços de forma rápida e atendendo bem ao cliente.

Sem sazonalidade

Todos os dias e durante todo o ano as pessoas procuram por crédito para realizar seus sonhos e objetivos. Com isso, os serviços financeiros não dependem de época certa para acontecer ou apresentar bons resultados, como no comércio, por exemplo.

Outro fator importante que se relaciona com essa vantagem é que, atualmente, existem no país mais de 8 milhões de microempreendedores individuais e este número só vem aumentando. Somente nos últimos cinco anos, ele cresceu em mais de 120%, segundo o Portal do Empreendedor.

E você não tem dúvidas de que, quanto mais empreendedores estão surgindo no Brasil, mais pessoas estão saindo da informalidade e mais aumenta a procura por crédito e financiamento próprio, não é mesmo?

Alta rentabilidade

Por estar sempre em alta, a oferta de crédito se torna uma solução vantajosa para os donos da franquia, pois, além de não ter tempo ruim para o tipo de negócio, quem realiza os empréstimos e financiamentos é a associação bancária. Ou seja, esse é um negócio promissor.

Então, o gasto por parte do empreendedor é com despesas internas, contratação de pessoal e com o local onde a empresa irá funcionar, depois de estabelecida, a instituição conseguirá gerar fluxo de caixa e ter o retorno esperado.

Rápido retorno

Com a facilitação do acesso a crédito à população e pelo tipo de serviços que são oferecidos, há crescente procura, ocasionando o retorno rápido do valor investido. Os serviços são ofertados como uma alternativa para fugir da morosidade dos grandes bancos, então, a franquia oferece o crédito de maneira rápida e menos burocrática.

Uso de marca já consolidada

Essa é uma das principais vantagens quando o assunto é franquia, principalmente que oferece serviços financeiros, pois os clientes gostam de procurar por marcas já reconhecidas no mercado e sabem que são empresas fortes, aumentando as suas chances de relacionamento e, consequentemente, de vendas. A marca já entrega valor e confiança para seus clientes.

Suporte contínuo

Outro fator que atrai muitos investidores para empreenderem com franquias financeiras é o fato de poderem contar com suporte da franqueadora sempre que for preciso, tendo mais segurança e comodidade para eventuais emergências.

Treinamento especializado

Além do suporte e assistência ao parceiro franqueado, muitas franqueadoras também oferecem treinamentos específicos para que o processo e o modo de trabalho seja seguido pelas empresas, adotando uma linha única de atendimento.

Este é um diferencial, pois os clientes apreciam quando são oferecidos bons modelos de atendimento e que se tornam referência de excelência pelo mercado.

Consultoria e plano de negócios

Quando uma franqueadora investe realmente nos seus parceiros que abrirão suas franquias, ela oferece sua experiência de mercado, contribuindo para uma melhor orientação ao empreendedor, que é novo no mercado.

Também oferece auxílio para elaboração do plano de negócio proposto pela empresa, para melhor segurança e controle dos resultados em prol do sucesso das franquias. São analisados, em conjunto, os números e propostas ações de melhorias, em caso de necessidade.

Entendeu como uma franquia pode lhe trazer inúmeras vantagens em relação a abrir um negócio totalmente do zero? O ideal é que você estude o mercado, entenda como está a economia da sua cidade e pesquise bastante antes de abrir sua empresa, independentemente do nicho que escolher.

Contudo, com as vantagens acima, você já conseguiu perceber os motivos pelos quais uma franquia financeira pode ser a resposta para seus questionamentos e o melhor negócio para você, certo?

Quer tirar outras dúvidas e conversar com especialistas para entender ainda mais como funciona o mercado de franquias e, principalmente, as franquias que lidam com serviços financeiros? Entre em contato conosco! Será um prazer ajudá-lo!

Mulheres lucram mais que os homens investindo em franquias

empreendedorismo feminino ganha cada vez mais destaque no país, promovendo transformações na sociedade e na economia. Não é a toa que, hoje, as mulheres já representam aproximadamente metade de toda a força de trabalho existente no Brasil. De acordo com o governo federal, três em cada quatro lares são chefiados por mulher, e 41% delas têm o seu próprio negócio.

De olho nos resultados crescentes do setor de franquias e na maior segurança por investir em um negócio já consolidado, o público feminino vem apostando nesse tipo de empreendimento.

Segundo o estudo “Liderança Feminina no Franchising”, realizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF), hoje, as mulheres representam 48% dos franqueados no Brasil. Ainda de acordo com a pesquisa, as franquias sob o comando feminino podem ter faturamento até 30% maior em relação ao público masculino.

Para Lucien Newton, diretor da Loja de Franquia, empresa que tem como objetivo proporcionar o crescimento empresarial via franchising, as mulheres se sentem mais confortáveis nesse modelo de negócio, o que pode ser uma justificativa para o sucesso. “Hoje, 60% dos clientes que nos procuram para investir em franquias são mulheres.”

Já Douglas Andrade, gerente de rede de franquia Empresta Bem Melhor, que atua no mercado de crédito, acredita que um dos motivos para o crescimento do lucro nas franquias comandadas por mulheres é a característica que somente esse público apresenta. “Em nosso segmento, é necessário foco e presença, além de paciência. As mulheres em geral conseguem lidar com todas essas necessidades e ainda mantêm o espírito de liderança aceso para comandar e gerar resultados”, ressalta.

Priscila de Carvalho Magalhães trabalhava como gerente, mas quando viu uma oportunidade para crescer profissionalmente, decidiu abrir uma franquia. “Trabalhei na Empresta desde 2010. Devido ao lançamento do canal de franquia pela Empresta, pedi demissão e adquiri a minha, em 2014. Hoje, sou proprietária de duas unidades, uma no Barreiro Industrial, em Contagem, e outra no Barreiro”, conta.

Para a empresária, “franquia reduz os riscos no negócio, pois a franqueadora disponibiliza conhecimento e suporte para seus franqueados”. Ela também comenta os bons resultados. “No primeiro mês de abertura, já conseguimos gerar receita suficiente para realizar os pagamentos das despesas fixas. Com menos de um ano, já tínhamos recuperado o nosso investimento. E, neste ano, o faturamento cresceu 25% no primeiro semestre, comparado com o mesmo período de 2018.”


DESAFIOS


Depois do nascimento do segundo filho, a empresária Jaciana Magalhães Costa decidiu deixar o emprego, mas precisava de uma fonte de renda, em algum trabalho em que fosse possível conciliar com a maternidade.

“Optei pela franquia, por oferecer um risco baixo, uma vez que o modelo de negócio que é repassado ao franqueado já foi testado, com sucesso, por seu franqueador. Assim, o franqueado adquire uma empresa bem estruturada, recebendo todo o suporte para assegurar o sucesso do negócio”, lembra a franqueado do Planeta Imaginário.

No começo, ela conta que enfrentou dificuldades. “Meu principal desafio foi alcançar um público infantil dentro de um shopping com mix totalmente voltado para adultos. E desafiante também, alinhar a equipe para que trabalhe com excelência, sempre fidelizando o cliente”. Ela conta que, mesmo com as dificuldades iniciais, vem conseguindo bons resultados. “A franquia tem me ajudado a adquirir minha independência financeira”, revela, animada.

Outro exemplo é Silvia Pires, empreendedora franqueada da rede Blue Sol – Energia Solar, em Araraquara, interior de São Paulo. Ela começou o negócio há um ano e meio.

“A ideia surgiu após estudar bastante o plano de negócios e entender que empreender envolve desafios que vão muito além da habilidade técnica e aporte financeiro. Por isso, optei por um modelo de franquia que possibilitou iniciar o meu negócio de forma consistente para permanecer no mercado e crescer”, revela.

Para Sílvia cada barreira vencida é um aprendizado. “Os desafios são muitos, mas o que considero mais importante é estar preparada para os acontecimentos não planejados, além de não me desanimar diante das dificuldades. É importante manter e seguir o plano”, ressalta.

Já Sylvia de Moraes BarrosCEO da The Kids Club, em São Paulo, acredita que o fato de a mulher ser multitarefas é a chave para o triunfo. “Acho que nós, mulheres, temos um grande poder gerencial, principalmente em franquia, em que você tem que vestir vários chapéus e assumir posições diferentes; função esta que já estamos acostumadas a fazer. Você tem o papel financeiro, de marketing e o de gestor de pessoas. E as mulheres têm muita facilidade e aptidão para lidar com pessoas e, como os negócios são feitos por pessoas e para pessoas, a gestão é muito importante”, revela.